Como fazer uma resenha crítica exemplos

 

Você sabe como fazer uma boa resenha crítica? Sabe o que é uma resenha crítica e como fazer uma resenha acadêmica crítica?  Pois saiba que este texto costuma fazer parte das dissertações de graduação, quando somos solicitados a demonstrar o quanto estamos confortáveis ​​com o tema de pesquisa que decidimos desenvolver. Nesse caso, a resenha é chamada de “monografia”.

Talvez o momento em que seja mais importante realizar uma resenha crítica profunda e completa seja quando estamos propondo um projeto de pesquisa, onde a resenha temática sobre o assunto a ser investigado é chamada de “marco conceitual” ou “marco teórico”, e onde nós jogamos a relevância do referido tema para contribuir com o avanço do conhecimento. A resenha crítica é geralmente o primeiro momento em nossa vida profissional em que demonstramos nossa capacidade de pensamento independente.

É muito comum que os alunos recém-ingressados ​​no ensino superior ainda acreditem que a tarefa de “pesquisar” pode se reduzir a essa resenha bibliográfica sobre o que já foi dito, quando a realidade é que é apenas o começo. Como já dissemos, a tarefa do arcabouço teórico ou conceitual não é tanto descrever o que se sabe sobre algo – embora seja um pré-requisito bastante óbvio – mas identificar o que não se sabe sobre isso.

Resenha crítica de um artigo

Não é suficiente dizer que “não há estudos que descrevam o problema como eu o coloco”, algo que os alunos às vezes dizem quando é muito claro até mesmo para o avaliador mais inexperiente que eles não despenderam tempo suficiente para construir uma sólida resenha da literatura. É necessário avançar algumas hipóteses sobre por que ocorre essa lacuna no conhecimento. A resposta é geralmente dupla: 1) na verdade, encontramos uma ideia que ninguém mais abordou na história da pesquisa científica porque chegamos a ela por um caminho nunca percorrido antes, ou 2) ninguém realmente explorou esta questão na combinação precisa de circunstâncias que estamos levantando, e essa combinação precisa é valiosa porque ajuda a responder a um dilema de conhecimento ou impacto na realidade para o qual não existe uma resposta adequada.

Nem é preciso dizer que as respostas do tipo 1 ocorrem não mais do que uma ou duas vezes em cada geração de pesquisadores, são verdadeiras revoluções científicas que criam campos de conhecimento inteiramente novos, enquanto a resposta do tipo 2 mais modesta é aquela que geralmente produz melhores resultados na avaliação de quão original e oportuna é a tarefa de pesquisa proposta. Um pesquisador honesto geralmente procede com modéstia, sempre esperando encontrar outras investigações que já respondam à questão inicialmente colocada e que, portanto, ele deve estar disposto a mudar sua formulação várias vezes durante a resenha da literatura. Essa modéstia dá bons dividendos porque o que costuma acontecer é que o projeto acaba tendo uma questão de pesquisa precisa, verossímil e interessante.

Como fazer uma resenha crítica de um texto

Assim como fazer referência de artigo científico é importante em várias situações, na resenha acontece a mesma coisa. Mas depois de citar quantos artigos posso dizer que tenho uma resenha sólida? Há apenas uma resposta possível: quando a resenha da literatura produz cada vez menos novas abordagens e ideias e mais e mais os mesmos temas e conceitos são repetidos. Nesse ponto, provavelmente teremos as informações de que precisamos e podemos prosseguir com sua análise e descoberta de lacunas de informação. Algumas instituições exigem um limite mínimo para, por exemplo, monografias de graduação que podem ser em torno de vinte ou trinta artigos acadêmicos, mas é claro que esse é um limite arbitrário.

Quanto às fontes: nem é preciso dizer que as instituições acadêmicas são as principais inquisidoras de questões relacionadas ao plágio ou má alocação de créditos de pesquisa, seguidas de perto pelas empresas comerciais que patenteiam produtos ou ideias. O plágio, mesmo que cometido inocentemente, pode estar sujeito a sanções disciplinares e até criminais em praticamente todas as universidades. Daí a insistência na utilização de fontes de “boa qualidade”, o que geralmente significa artigos acadêmicos publicados em revistas indexadas ou livros publicados por editoras de prestígio, que registrem cuidadosamente a origem dos trabalhos. É por isso que as instituições tendem a desencorajar de forma mais ou menos delicada o uso de outros tipos de fontes potencialmente valiosas, como notícias da imprensa, obras literárias ou o manuscrito que meu tio, o gênio incompreendido, guarda debaixo da cama.

Resenha acadêmica crítica

A boa notícia é que vivemos na chamada “sociedade do conhecimento”, onde essas fontes de boa qualidade estão mais acessíveis do que nunca na história e onde podemos ter a certeza de que encontraremos com maior abundância e rapidez material pertinente à nossa pesquisa. a partir do qual podemos lê-lo e avaliá-lo, o que ajuda para nosso trabalho de faculdade. Realmente, não há desculpa para citar material de fontes duvidosas, como blogs ou repositórios de empregos online tão populares entre os alunos do ensino fundamental e médio em uma análise séria. Cada vez mais, as universidades estão abrindo alternativas de pesquisa confiáveis ​​para o aluno, como bancos de dados científicos, repositórios de teses de graduação ou os arquivos eletrônicos das revistas mais importantes.

A má notícia é que a mesma riqueza pode dificultar muito a organização do referencial teórico: como faço para julgar qual artigo acadêmico é melhor do que outro para marcar minhas nomeações? Como posso saber se perdi uma ideia importante que está contida em um artigo que baixei, mas não consegui revisar em profundidade por falta de tempo? Existem ferramentas que facilitam esta tarefa e sobre as quais o bibliotecário de nossa instituição pode nos orientar, mas o fato é que na sociedade do conhecimento é cada vez mais difícil garantir que não se perca algum aspecto importante do assunto. Sempre haverá um elemento de incerteza, mas desde que nosso objetivo de pesquisa seja claro e específico, podemos ter certeza de que a construção da resenha terá um final satisfatório.

Como fazer uma resenha crítica de artigo científico

A obra em questão é geralmente uma peça de literatura. No entanto, muitas vezes os alunos são solicitados a analisar um filme, obra de arte ou, por que não, um artigo científico. Isso pode ser muito empolgante, mas também desafiador, pois você precisará interpretar não apenas a linguagem, mas também vários dispositivos científicos.

Agora que você conhece a definição de ensaio de análise crítica, provavelmente está se perguntando por que esse tipo de trabalho escrito é útil para os alunos. Você deve saber que aprender o que é análise crítica em um ensaio permite que você desenvolva seu próprio pensamento crítico e habilidades de análise, além de ajudá-lo a aprimorar sua linguagem e redação.

Como fazer uma resenha crítica passo a passo

Se você olhar um guia típico sobre “Como escrever um ensaio de análise crítica para manequins”, verá que começar um artigo de redação crítica é uma das partes mais desafiadoras do processo de redação. Então, como iniciar um ensaio de análise crítica que definirá o tom certo para sua escrita e beneficiará a impressão geral de seu trabalho, e o que um ensaio de análise crítica inclui? Estas são as três primeiras coisas que você precisa fazer ao aprender a escrever uma análise crítica.

Caso você esteja preocupado com tantas informações e restrições, pode ainda recorrer a um site que oferece trabalhos prontos ou até o tcc pronto direto para você e outros alunos do Brasil e até do mundo.

Introdução de uma resenha crítica

Não tem ideia de como começar sua introdução de ensaio crítico? Aqui está como escrever uma introdução para um ensaio de análise crítica como um redator profissional.

No início de sua introdução, descreva os detalhes sobre o trabalho que você está analisando, incluindo a publicação de informações e a recepção do trabalho. Em seguida, identifique a tese do autor e as principais ideias que ele usou para apoiá-la.

A última frase de sua introdução deve ser a declaração de sua tese, onde você apresentará sua ideia principal sobre a obra literária e o sucesso do autor em transmitir sua mensagem. Observe que a declaração de sua tese não deve soar igual à tese do autor.

Conclusão de uma resenha crítica

Agora que você sabe como escrever um ensaio de análise crítica desde o início, provavelmente tem apenas mais uma pergunta: como escrever uma conclusão para um ensaio de análise crítica que resuma de maneira bela sua redação?

O importante a lembrar sobre a conclusão é que ela não deve fornecer nenhuma informação nova aos leitores. Em vez disso, você deve oferecer um breve resumo da declaração da tese e das ideias nas quais o seu ensaio foi baseado.

Como fazer uma resenha crítica abnt

Sendo uma resenha crítica um material formal, que geralmente deve ser entregue num contexto científico ou acadêmico, é importante que o autor, estudante ou cientista se atenha sempre às normas e regras impostas pela ABNT – a Associação Brasileira de Normas Técnicas. Existem numerosos casos de alunos que reprovam por falta de atenção a estas normas, ou acadêmicos que não têm seus trabalhos publicados pelo mesmo motivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *